Quem tem doa, quem não tem leva

Quem tem doa, quem não tem leva

Eu não aguento gente que reclama, reclama, reclama – em geral dos outros – mas não olha para o próprio umbigo para perceber onde poderia mudar a si próprio para contribuir com um mundo melhor. Talvez por não aguentar isso, admiro tanto iniciativas simples que geram resultados positivos, sem precisar de muito alarde, mobilizações imensas, investimentos monumentais.

marca Núcleo de Bandeirantes Gadelha FilhoMoro há três anos numa quadra de Brasília que tem um núcleo de Bandeirantes, o Gadelha Filho. Ele é ligado à Federação de Bandeirantes do Brasil, representante no Brasil da Associação Mundial de Bandeirantes. A missão apresentada no site da federação é “ajudar crianças e jovens a desenvolverem seu potencial máximo como responsáveis cidadãos do mundo”. O Movimento Bandeirante tem mais de um século e tem uma proposta de co-educação, baseado em atividades comunitárias.

Pois bem, dia desses, eles penduraram uma placa com ganchos na cerca do núcleo com o dizer: “Quem tem doa, quem não tem leva”. A consequência é que quem não tinha passa a ter de forma simples e eficiente, sem burocracia, sem humilhação, sem constrangimento. As pessoas passam e deixam lá, em geral, roupas (não me ative a olhar o que tinha na sacola da foto…) para doação. As pessoas que têm falta daquilo, observam, analisam se lhes serve e levam. Simples para os dois lados.

A ideia está posta na Entrequadra Sul 102/103, Brasília. Quem quiser, pode replicar no muro da sua casa ou na fachada do seu comércio. Quem não tiver tal disponibilidade pode, simplesmente, passar por lá e deixar alguma coisa. Fazer a sua parte pode ser mais simples do que se imagina.

Gente sem disposição para fazer, só para cobrar, eu não aguento. Gente que faz, eu aguento, e contribuo com suas iniciativas!

Anúncios

4 Responses to “Quem tem doa, quem não tem leva”


  1. 1 Patricia Pires 17 de novembro de 2014 às 12:41

    Eu vi aqui no estacionamento de fora do Hospital de Base. É de um grupo que o Rafael Galeazzi, filho do Ismael, participa. Achei muito legal essa iniciativa. Foi no tempo do frio, com agasalhos e cobertores.

  2. 2 Lucia Agapito 14 de novembro de 2014 às 18:13

    Eu também achei isso sensacional. Aplaudi muito quando soube disso… Só não sabia que era na sua quadra!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s




placa Cabo da Boa Esperança

Digite seu endereço de e-mail para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por e-mail.

Junte-se a 174 outros seguidores

novembro 2014
S T Q Q S S D
« set   dez »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Tudo que já aguentamos por aqui

Sobre o que aguentamos

Os que mais aguentamos

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: