Posts Tagged 'aeroporto Juscelino Kubitscheck'

Informação inútil

As pessoas deveriam ter mais cuidado com o que fazem com concessões públicas. Ter uma concessão de uma rádio, por exemplo, com o objetivo de informar, mas desperdiçar o tempo do ouvinte com baboseira deveria ser motivo de cassação da concessão. Ah, não pode…. tem a dita liberdade de expressão. Como se expressar abobrinha usando um espectro público fosse um direito.

Enfim, isso é assunto para outro post. O de hoje vai falar sobre uma prática que as emissoras de rádio adotaram agora. Desde que criou o caos aéreo, a mídia tem que alimentar essa lenda urbana e uma forma que ela encontrou é dar o boletim dos voos cancelados, atrasados e no horário. Algo tão útil quanto o boletim da bolsa de valores no jornal da TV no fim do dia, em um mundo de informação em tempo real. Praticamente toda semana vou ao aeroporto voar ou levar alguém que vai voar ou buscar alguém que vem voando. Por vício, ainda ouço essas rádios comerciais ditas de informação. (Mas já estou trabalhando na terapia para ouvir só música.) Quase sempre coincide de ouvir o tal boletim dos voos quando estou indo para o aeroporto. Diz algo mais ou menos assim: “Hoje decolaram x voos do aeroporto Juscelino Kubitscheck, y voos estão atrasados e z foram cancelados”.

Nunca, nunca, nunca em todas essas viagens que me cercam, o tal boletim foi útil. Eu ouço e fico me perguntando: o voo que me interessa está painel online infraeroentre os atrasados, os cancelados ou os decolados? Não se fala nem de qual região, para qual região. Poderia ser: os voos vindos de São Paulo estão atrasados. Nada. Diz x voos atrasados. Quais? Quanto tempo? Nada… Informação absolutamente inútil, que acaba por nem ser informação na verdade. Qual o objetivo? Ocupar o tempo? Preencher 24 horas de programação não deve ser fácil mesmo. Mas conta piada, que é mais útil. Pelo menos, desestressa. Porque falar que tem voo atrasado, voo cancelado, voo saindo, voo chegando, assim, sem mais detalhe, serve apenas para alimentar a sensação de que é necessário falar de quantos voos deram errado, porque são muitos. Mas, normalmente, nem são. É o tipo de coisa que só alimenta a ansiedade do cidadão e não presta serviço nenhum.

Gente que não sabe para que serve seu próprio trabalho, eu não aguento!

Campanha pelo frango com farofa no avião

Já faz algum tempo que as companhias aéreas aboliram a oferta até mesmo do amendoinzinho com refrigerante nos voos nacionais. Pelo menos nos de curta duração. Sem problemas, se isso as vai fazer mais ricas e mais felizes. Ocorre que nem sempre a gente consegue se alimentar antes de ir para o aeroporto. Outro dia eu peguei um voo de Brasília para São Paulo e cheguei no aeroporto Juscelino Kubitscheck sem ter almoçado, já próximo da hora do embarque e com a certeza de que não aguentaria ficar sem comer até o desembarque em São Paulo, ainda que fosse voo de uma hora e meia. Talvez aguentasse, claro, mas meu humor ficaria tão estragado que não valeria a pena.

Assim, fui até a única opção que oferece algo salgado para comer na área superior de embarque do aeroporto de Brasília: Viena Café. Para comer um lanche sem vergonha, gastei mais do que gasto no meu dia a dia para almoçar. Um misto frio light saiu por R$ 12,75, uma salada de frutas, com 100 g de poucas frutas e muito suco de laranja, custou R$ 7,00 e ainda teve um chocolate Suflair para comer durante o voo, que foi um exagero gastronômico e financeiro: R$ 6,90! Total da conta: R$ 26,65.

No voo, o misto frio tão safado quanto o que eu comi custava a mesma coisa. E convenhamos que o lanche de avião é carésimo, porque não dá para você resolver ir no avião ao lado ver quanto está e comprar por lá mesmo. Na verdade, no aeroporto Juscelino Kubitscheck, administrado pelo Consórcio Inframérica, praticamente se dá o mesmo. Dentro da área de embarque temos apenas o estabelecimento onde eu consumi e um outro no andar inferior onde as filas costumam ser tão grandes que você tem que chegar com duas horas de antecedência do voo se quiser comprar algo por lá. Talvez a fila fique assim porque seja mais barato que o Viena, talvez seja só resultado do ritmo e método de atendimento brasiliense. De toda forma, nunca consegui ser atendida em tempo para saber.

Depois de praticamente ter sido obrigada a comprar algo para comer ali, eu pensei: podia ter me organizado e saído de casa com mais antecedência, para poder comer na área externa à zona de embarque. Nem sempre dá… Outra alternativa teria sido eu me preparar no dia anterior, fazendo uma bela marmita de frango com farofa e levado para comer no avião.

Afinal, se as companhias aéreas e os aeroportos não nos dão alternativa para comer a preços minimamente razoáveis, que aguentem o cheiro do nosso frango tomando seus ambientes.

Imagem retirada do site São Joaquim online

Imagem retirada do site São Joaquim online


placa Cabo da Boa Esperança

Digite seu endereço de e-mail para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por e-mail.

Junte-se a 716 outros seguidores

setembro 2021
S T Q Q S S D
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Tudo que já aguentamos por aqui

Sobre o que aguentamos